EDUCAÇÃO - Aulas estão suspensas em Londrina

Alunos de 19 municípios da região de Londrina ficarão sem aulas nesta segunda-feira

Escolas das redes municipal e estadual de Londrina, assim como universidades públicas, estarão com aulas suspensas nesta segunda-feira (28). As decisões consideram os impactos da paralisação dos caminhoneiros. Novas reuniões irão atualizar a situação para definir o que deve ocorrer durante a semana e a orientação é que pais e alunos fiquem atentos para as novas informações.  


Os NREs (Núcleos Regionais de Educação) de Londrina, Pitanga, Guarapuava (ambos no Centro) e Ivaiporã (Vale do Ivaí) suspenderam as aulas dos colégios estaduais em seus 47 municípios a partir desta segunda-feira (28). Ao todo, foram 68 municípios paranaenses afetados, 19 só do núcleo de Londrina: Alvorada do Sul, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Cambé, Centenário do Sul, Florestópolis, Guaraci, Ibiporã, Jaguapitã, Londrina, Lupionópolis, Miraselva, Pitangueiras, Porecatu, Prado Ferreira, Primeiro de Maio, Rolândia, Sertanópolis e Tamarana.

Segundo a secretária de Estado da Educação, Lúcia Cortez, a suspensão se deu mais pelo acesso dos alunos que pelo impacto no funcionamento dos colégios. "Nossa preocupação é mais com o transporte. Por enquanto, as escolas não foram afetadas pela greve, elas estavam abastecidas, mas temos situações em que a própria prefeitura informa que os transportes na cidade e o transporte escolar não estão funcionando. Por conta disso, suspendemos as aulas apenas desta segunda-feira e faremos uma nova avaliação. Estamos acompanhando a situação diariamente", afirma.

A Secretaria de Estado da Educação orienta que os pais procurem a escola de seus filhos ou o NRE da sua região para saber como ficará a situação durante a semana e informa que os alunos não serão prejudicados, pois as aulas serão repostas.

MUNICÍPIO
A secretaria municipal de Educação também comunicou que as aulas na rede de ensino (ensino básico e centros de educação infantil) foram canceladas, "em face aos acontecimentos envolvendo a greve dos caminhoneiros e as consequências registradas até o momento", segundo nota enviada à imprensa.

UNIVERSIDADES
A UEL decidiu, na última sexta-feira (25), por suspender as atividades acadêmicas a partir desta semana. A administração da universidade afirma que fará reunião para avaliar os efeitos das novas posições sobre a paralisação dos caminhoneiros. Com exceção do Restaurante Universitário, as atividades administrativas estão mantidas.

A UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná), Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste) e Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) estão com as atividades paralisadas desde a última quinta-feira (24) e ainda não comunicaram retorno.

Na UEM (Universidade Estadual de Maringá), a suspensão se deu na última sexta-feira (25) e continua até normalização dos transportes. A UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa) estendeu a suspensão das atividades até quarta-feira (30), informando sobre o recesso acadêmico e administrativo nos dias 31 de maio e 1º junho, referente ao feriado de Corpus Christi.

FEDERAIS

A UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) paralisou por tempo indeterminado as atividades letivas de todos os seus 13 campus. A UFPR (Universidade Federal do Paraná) destaca que a decisão sobre as atividades acadêmicas entre os dias 28 e 30 de maio são de autonomia do corpo docente, chefias de departamento e das direções setoriais.



Lais Taine
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA


Comentários